Campanhas e Eventos

Desmarcações de consultas e exames de acompanhamento, separação mãe-bebé e amamentação impedida ~ Nova carta à Direção Geral da Saúde

A Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto (APDMGP) mantém a sua intervenção junto das inúmeras mulheres grávidas e famílias que nos contactam nestes tempos de grande incerteza.  Já demos conta à Direção Geral da Saúde (DGS) da nossa posição acerca da forma desigual com que algumas das medidas foram implementadas em muitas instituições de saúde, desconsiderando os direitos das mulheres. No entanto, retomámos no dia 22 de maio o contacto com a DGS porque nos têm chegado relatos particularmente preocupantes, nomeadamente, de desmarcação de consultas de vigilância pré-natal e de exames de rotina, incluindo ecografias obstétricas de primeiro e segundo trimestre. Chegam-nos também pedidos de ajuda de […]

A pandemia de partos agendados em Portugal ~ Carta à Direção Geral da Saúde

A Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto (APDMGP) está preocupada com o desenrolar desta situação de pandemia de COVID-19 nos cuidados de obstetrícia em Portugal. Têm-nos chegado relatos cada vez mais frequentes de que as grávidas estão a ser sujeitas a induções do trabalho de parto sem indicação clínica, com todos os riscos que podem advir dessa decisão. Ou seja, existem claros indícios de que a cultura de agendamento de partos, que já se verificava em muitos contextos, se agrava agora no âmbito da pandemia de COVID-19. O mesmo se pode dizer das cesarianas, que estão a ser agendadas de forma rotineira para as grávidas que […]

Caixa de ferramentas gravidez, parto e covid-19

Nos últimos tempos, a APDMGP recebeu um número assustador de pedidos de ajuda e relatos de mulheres/casais, primeiro relativos à negação do direito ao acompanhante e, ultimanente, a induções e cesarianas programadas. A situação nos hospitais portugueses, (e encontramos exemplos desta situação tanto em públicos e privados) pode desde já ser desafiante em contexto de pandemia nacional, mas não menos preocupante é a forma com algumas instituições estão a escolher lidar com a situação. A Organização Mundial de Saúde foi clara no seu Q&A relativamente à ligação entre a pandemia de covid-19 e a forma como os partos devem decorrer: “As mulheres grávidas com suspeita ou confirmação de COVID-19 têm […]

APDMGP_Reporte situações anómalas_COVID-19

No âmbito da assistência à gravidez, parto e pós-parto em tempo de pandemia pela COVID-19, os desafios enfrentados pelos serviços e a defesa da saúde pública requerem por vezes medidas excecionais. No entanto, importa que estas medidas ou quaisquer recomendações sejam implementadas de forma justa e adequada, com base em evidências científicas e preservando espaço para a aceitação ou recusa informada. Utilize este formulário se pensa que recebeu tratamento inadequado e/ou os seus direitos foram violados, na assistência à sua gravidez, parto e pós-parto. Todas as situações ficam registadas e serão utilizadas para moldar a atuação da APDMGP face às autoridades, assim como as nossas comunicações nesta fase.

Tomada de posição APDMGP – Sobre as limitações aos direitos da mulher no parto e no puerpério em unidades de saúde em tempo de pandemia por COVID-19

A Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto (APDMGP) está vigilante e preocupada com o respeito pelos direitos das mulheres, bebés e famílias, nestes tempos conturbados para todas e todos. Inúmeras/os mulheres/casais grávidas/os relatam-nos preocupação, ansiedade e insegurança associadas à incerteza sobre os seus direitos no parto e no pós-parto em unidades de saúde. Para a APDMGP, é importante dar voz às inquietações das famílias e continuar a trabalhar junto delas de forma a fazer-lhes chegar alguma paz, tranquilidade, informação de qualidade e apoio, reconhecendo os constrangimentos crescentes que as/os profissionais de saúde enfrentam no exercício da sua prática profissional.  Infelizmente, enfrentamos uma pandemia mundial, lidando com […]